Estrutura

Os Comitês Brasileiros são células operacionais da ABNT, são órgãos de coordenação e planejamento das atividades de normalização desenvolvidas pelas Comissões de Estudo. Os CBs são normalmente constituídos de um Superintendente ou Gestor, eleito pelos sócios da ABNT, e uma Secretaria Técnica, geralmente patrocinada pelo representante mais expressivo do setor.

Comissões de Estudo (CEs) são as células operacionais dos Comitês Brasileiros. São os fóruns técnicos onde são desenvolvidas as Normas voluntárias no nosso país. Elas possuem um âmbito de atuação específico, restrito a um escopo pré-aprovado pelo Conselho Técnico da ABNT.

Participam dessas Comissões, por meio de trabalhos voluntários, representantes de universidades, institutos, instituições governamentais, não governamentais e empresas produtoras e consumidoras (produtos e serviços). Por serem as únicas responsáveis pela qualidade do conteúdo técnico das Normas que desenvolvem, essas Comissões têm como obrigação a revisão periódica dessas Normas, mantendo-as sempre atuais em relação as suas similares internacionais, podendo, porém, adaptá-las às especificidades técnicas encontradas no Brasil.

Até a criação do ABNT/CB-060, as demandas por normas do setor eram tratadas no âmbito do ABNT/CB-04 – Máquinas e Equipamentos Mecânicos, que concordou com a transferência dos trabalhos desenvolvidos por duas de suas comissões de estudo (CE de Ferramentas Manuais e CE de Usinagem).

Atualmente, O ABNT/CB-060 é composto pelas seguintes comissões de estudos, ambas instaladas em 04 de novembro de 2008:

CE-060:000.001 – Comissão de Estudo de Ferramentas Manuais e Dispositivos que tem como escopo de seu trabalho a normalização de ferramentas destinadas a utilização manual, excluindo-se as ferramentas utilizadas com elemento e/ou equipamento elétrico, hidráulico ou pneumático que desabone ou altere a qualidade do produto, salvo quando especificado em norma.

CE-060:000.002 – Comissão de Estudo de Usinagem tem como escopo a normalização de Ferramentas de Usinagem, podendo ser usadas com elementos ou equipamentos elétricos, hidráulicos ou pneumáticos, no que concerne a requisitos, métodos de ensaio e segurança, excluindo-se as ferramentas de usinagem elétricas.

Em outubro de 2012 foram instaladas mais duas comissões de estudo, CE-060:000.003 – Comissão de Estudo de Ferramentas Abrasivas e CEE-206 – Comissão de Estudo Especial de Grãos Abrasivos, as quais entraram em recesso em março e junho de 2015, respectivamente, após executaram o programa de normalização setorial planejado.

diagrama_cb60-estrutura